22 janeiro 2017


Preparar, apontar... madeiraaaaa. << Tô toda errada>>
/////////  /////////  //////////  /////////  ////////  ///////////  /////////
Meu problema em planejar muito as coisas e no fim dar tudo errado.
A gente não pode controlar tudo. Não adianta a expectativa que eu bote, isso só vai servir para me frustrar por não ter atingido o esperado. Porque não importa o quanto eu queira, as coisas acontecem quando tem que acontecer. Isso não significa que depende do acaso.
Funciona como um jogo em que não importa o quanto tente pular de fase, você sempre vai precisar dela para seguir em frente. Ou ainda, como um organismo ou um carro, caso falte uma peça, ele não poderá operar corretamente.
Ou seja, as coisas precisam estar propicias para acontecerem.
[...]
E se não acontecerem, continue em frente. Nem que isso signifique desistir ou voltar.


Oogway: Olhe para esta árvore, Shifu. Eu não posso obrigar a dar flores quando me convém, nem obriga-la a dar frutos antes da hora.
Shifu: Mas há coisas que podemos controlar.
[Chuta a árvore de modo que os pêssegos cair]
Shifu: Eu posso controlar quando a fruta cairá!
[Ele corta um pêssego e joga o caroço para o chão]
Shifu: Eu posso controlar onde plantar a semente! Isso não é uma ilusão, mestre!
Oogway: Ah, sim. Mas não importa o que você faz, essa a semente se tornará um pessegueiro. Pode desejar uma maçã ou uma laranja, mas você terá um pêssego.
Shifu: Mas um pêssego não pode derrotar Tai Lung!
Oogway: [dobrar sujeira sobre o caroço de pêssego] Talvez possa, se estiver disposto a guiá-lo, disposto a treiná-lo e acreditar nele.
Shifu: Mas como? Como? Preciso de sua ajuda, senhor!
Oogway: Não, você só precisa acreditar. Prometa-me, Shifu. Prometa-me que vai acreditar.
Shifu: Eu ... eu vou tentar.
(Kung fu Panda)

Um dos filmes com as melhores frases de reflexão.

Moral da história: Acredite em si e tente fazer o (seu) melhor possível.

Nenhum comentário:

Postar um comentário